O testemunho de Bev

bev.:O TESTEMUNHO DE BEV

Link Artigos de Bev

A minha herança Mórmon remonta ao Profeta Joseph Smith. A minha genealogia cruza-se com a sua genealogia. O meu começo foi numa pequena cidade do Idaho. Eu fui a uma igreja num antigo edifício de pedra do outro lado da estrada da minha casa. Os Domingos eram divertidos ouvindo histórias sobre Jesus e ganhando uma estrela de ouro na testa. Nós tínhamos uma grande família e muitos amigos, todos Mórmons. Eu tenho boas memórias de amizades e reuniões sociais.

Quando eu tinha cerca de seis anos de idade, estava com minha avó Lucy na cave daquela antiga Igreja Mórmon em Rigby, Idaho. A avó estava falando com outra mulher sobre Jesus Cristo. Eu queria saber mais e persistia incomodando-a com questões. Ela tomou tempo para me falar sobre a morte de Jesus na cruz pelos nossos pecados e se nós orassemos a Ele e agradecessemos-Lhe pela sua dádiva, Ele seria o amigo constante ao nosso lado e poderíamos viver no Céu.

Eu fui para outro quarto sozinha e orei a Jesus por sua dádiva de salvação e Jesus tem sido o meu companheiro constante desde então. Como criança na Igreja Mórmon, tudo o que o que eu queria era escutar histórias sobre Jesus. À medida que envelheci, eu senti um conflito com o Jesus que eu conheci e os ensinos Mórmon com que cresci. Contudo, eu não sabia mais nada para além do Mormonismo e não sabia para onde ir.

A Igreja Mórmon ensina que se você não for um Mórmon, você não viverá com Deus no Céu. “Não!” Disse eu para com este ensino. “Uma igreja e todas as suas regras e regulamentos não podem fazer você ir para o Céu. Jesus já fez isso na cruz do Calvário.” Eu cheguei à conclusão de que todas as entrevistas que tive da Igreja para verificar o meu merecimento não eram de Deus, eram de homens. Deus é o meu entrevistador diário. Tudo da Igreja Mórmon era o homem mediar entre Deus e mim.

Começando na escola secundária (segundo grau) e meus dois anos no Colégio Ricks, eu comecei a perguntar algumas questões sérias acerca do Mormonismo. Ninguém conseguia responder às minhas questões de um modo que parecesse correto, e foi-me dito pela Igreja Mórmon que eu não tinha suficiente “fé”. Estas eram apenas algumas poucas questões que tinha:

  1. Se este era o nosso tempo de estágio na terra e Jesus é nosso irmão, e estamos trabalhando para ser “Deuses”, como pode Jesus ter sido Deus quando veio à terra? Não teria Ele estado no seu tempo de estágio na terra, como nós estamos?

 

  1. Eu queria visitar os locais mencionados no Livro de Mórmon, mas foi-me dito que ninguém sabia onde eram esses locais e não existem vestígios para mostrar onde essas pessoas realmente viveram. Quando temos ampla evidência dos lugares mencionados na Bíblia, não fazia sentido que nem um único dos lugares mencionados no Livro de Mórmon pudesse ser encontrado hoje. Como poderia tanta gente viver sem deixar alguma coisa para trás?

 

  1. A Bíblia diz que Deus não deixará que a Sua Igreja seja tirada da terra. (Veja Mateus 16:18; Hebreus 12:28) Então porque precisaria a Igreja Mórmon trazer de novo a Igreja de Deus?

 

  1. Em Mateus 24:35, Deus prometeu preservar a Sua Palavra. Ele nunca a deixaria corromper-se. Foi-me dito que a Bíblia foi “traduzida” erradamente por homens. Isto era impossível em minha mente, porque eu acreditava firmemente que Deus era mais poderoso que o homem e que Ele se certificaria que as Suas Palavras eram aquilo que Ele queria que eu soubesse.

 

  1. Eu perguntava-me porque parecia que a Igreja Mórmon tinha como alvo apenas as pessoas boas. Porque não vamos e ensinamos todas as pessoas, mesmo que sejam más pessoas, tais como as que estão nas prisões? As pessoas más também precisam de ouvir sobre Jesus.

 

  1. A Bíblia diz que eu “tenho” vida eterna com Deus. (1 João 5:11-13) A doutrina Mórmon diz que eu tenho uma lista de coisas que tenho de fazer de modo a ser possível viver com Deus. Então porquê na doutrina Mórmon eu preciso de Jesus, se eu tenho de fazer coisas para ir para o Céu? Será que o Seu sangue não é suficiente para me fazer aceitável a Deus?

 

  1. Após ir ao templo, eu disse ao meu marido, mãe e pai que eu não queria ser um “deus”. Eles replicaram que eu iria entender e aceitar este ensino “com o tempo”. Quando eu firmemente declarei que eu não viveria no Céu com o meu marido, se eu tivesse de o partilhar com muitas outras esposas, foi-me dito que eu poderia escolher se queria seguir tal ordem. Mas isso apenas fez-me ter mais perguntas. Se eu podia escolher acerca desta ordem, que outras ordens poderia eu escolher obedecer ou não obedecer?

Por vezes, quando me eram dadas respostas a questões, eu descobri que as suas respostas não eram confiáveis. Por um grande período de tempo, fui catalogada como “agitadora”, “rebelde” e “sem fé”. Pela maior parte da minha vida, eu sentia-me deslocada nesta Terra. Eu sei que me sentia assim porque a Terra não é o meu lar. Deus tem um plano. Ele criou a terra como um lar temporário. Também, pela maior parte da minha vida, eu vivia num sistema de crenças que não condizia com o Jesus da Bíblia. Eu fui atormentada por 40 anos.

Então, numa manhã de Domingo em 1986, um poder maior que o meu ajudou-me. À medida que a minha família se preparava para a Igreja SUD, eu anunciei que não iria à Igreja. Eu senti uma força que ainda não haveria experimentado. Foi-me perguntado se eu estava doente ou se alguém tinha magoado meus sentimentos. A minha resposta foi “não” a todas as questões. Eu anunciei com poder e afirmação: “Eu não vou à Igreja hoje, e provavelmente nunca mais irei à Igreja.” A minha família ficou chocada conforme saiam para a Igreja. Os meus filhos mais velhos estavam preparando-se para as suas Missões.

Nas 3.5 horas em que a minha família estava na Igreja, eu orei pedindo a Deus para me mostrar onde Ele queria que eu fosse agora. Eu não sabia para onde ir agora, mas eu confiava que Deus me levaria lá. Eu afastei-me e mergulhei numa busca para descobrir o Jesus que conheci em criança. Jesus levou-me para o deserto, e apenas Ele e eu. Ele deve ter sabido que levaria um longo tempo para remover todos os anos de ensinos errados na Igreja Mórmon. Eu não atendi qualquer igreja. Eu não queria outra religião que dominasse minha vida e meus pensamentos.

Após longas horas de oração e tempo com Jesus, eu assisti à Rocky Mountain Calvary Chapel no ano de 2003. A música estava alta e eu estava de pé e cantando. Eu ouvi alguém chamar o meu nome e foi como se fosse o único som na sala. Eu virei-me para procurar a voz. Não vi ninguém. Eu ainda estava incerta sobre onde Deus queria que eu estivesse e apenas havia assistido umas poucas vezes. Então, em Outubro de 2004, eu fiquei bastante doente. Eu tinha tantas dores. Com medicação, eu dormia 15-20 horas cada dia. Eu pensei que provavelmente estaria a viver os meus últimos dias na terra. Eu estava humildemente pronta para encontrar-me com o meu Senhor. Por volta de 2005, o Senhor entrou dentro do meu coração e alma e tem estado ativo na minha vida desde então. Então em 30 de Março de 2005, eu tive uma espantosa experiência de reavivamento.

Eu comecei a ler vorazmente. Primeiro fui levada para os fins dos tempos e Revelação. Eu comecei a ler a Bíblia todos os dias. Eu sempre acreditei que não precisava ser batizada outra vez, depois de ter sido batizada quando tinha 8 anos de idade. Então, eu estava de pé num domingo, dia 5 de Junho de 2005, na Rocky Mountain Calvary. O anúncio era de que em 11 de Junho iria haver um batismo no Parque Fox Run. O pensamento que me veio à mente, foi que em 11 de Junho é o meu aniversário e que eu queria ser re-batizada, mas desta vez como uma cristã verdadeira e não como uma Mórmon. Eu entrei na água com Jesus, não apenas a meu lado, mas dentro de mim! A água cobriu-me. Foi espetacular! Eu senti como se a água tivesse lavado toda a dor da procura pelo Jesus que a minha avó havia-me mostrado.

Na terra, nós temos uma hipótese de conhecer Jesus. Jesus veio à terra e deu-nos um presente, um maravilhoso presente! Ele deu-nos o caminho para o nosso lar eterno. Quando Jesus morreu na cruz, Ele levou com ele os nossos pecados, tristezas e iniquidades terrenas. Ele fez isso por mim e Ele fez isso por si! Que tristeza e dor ele deve ter sentido por causa do nosso pecado. Por um breve tempo, os nossos pecados separaram-No do Pai Celestial. Quão horrível isso deve ter sido? Nós provavelmente não conseguimos compreender tal coisa. Nós precisamos confiar o nosso pecado a Jesus e agradecer-Lhe pela sua dádiva gratuita da graça que Ele nos deu na cruz e que permitiu que Ele nos leve para o Céu. Isto não é sobre mim. Deus diz que as minhas boas obras são como trapos imundos. (Isaías 64:6) É sobre Jesus e o presente da sua justiça cobrindo o meu pecado.

A minha jornada dos seis aos cinquenta e nove anos de idade é incrível! Ninguém o pode guiar pela mão e mostrar-lhe o caminho, a não ser Jesus. Relacionamento — não a religião — relacionamento com o Senhor é o caminho para a vida eterna com Deus!

Leia 1 João várias vezes. Se você não acredita que está salvo no momento em que coloca sua confiança em Jesus, então leia outra vez. Eu acredito que a sua dádiva de salvação não é um “se” ou “talvez” ou “quando”. A minha salvação e a minha vida eterna com Deus não é baseada em mim. Se eu tenho de fazer alguma coisa, então não é uma dádiva. Eu nunca poderei ser boa o suficiente para ser elegível para tal dádiva eterna e preciosa. Se alguém acredita que irá para o céu pelas suas próprias habilidades, esse passa por cima da cruz e levanta-se acima do nosso precioso e Santo Senhor Jesus Cristo.

Quando nós sujeitamos tudo a Deus, nós esvaziamo-nos do eu e Deus enche-nos com Ele mesmo. Se existe lugar para o desespero e dúvida e auto-justificação, então essa é a parte que não sujeitamos. Confiem em Deus! Perguntem a vocês mesmos algumas questões: “Você conhece Jesus como seu Salvador?” “É Ele o caminho para a vida com Deus por toda a eternidade?” “Ou você pensa que precisa de fazer algo na Igreja SUD ou no Templo, para chegar ao lugar onde Deus está, no Céu?” Apenas existe uma resposta: JESUS!!! Um caminho leva ao Céu por Jesus Cristo. O outro caminho leva ao Inferno, pelas suas ações. (Gálatas 5:4; Mateus 7:13-14) Sim! Existe um Inferno e é permanente. (Mateus 25:46)

Eu gostaria de pôr a minha história Mórmon de lado e nunca mais pensar nela novamente. Duas razões, eu acredito, porque não posso fazer isso: Por quarenta anos o ensino Mórmon foi inculcado em minha mente. Eu sentia que a minha liberdade para procurar a verdade e pensar por mim mesma, estava terminada. E a segunda razão é que Deus está chamando-me para estar envolvida num trabalho de missão. Esta chamada de Deus é a razão pela qual escrevo este testemunho. Não é sobre mim! Eu irei gastar a minha eternidade louvando e adorando a Deus! Cada dia, por toda a eternidade, Ele ensinar-me-á acerca dos ilimitados e assombrosos aspetos de Si mesmo. Eu dedico a minha vida ao Pai e Senhor Jesus Cristo.

Print Friendly, PDF & Email

This post is also available in: Inglês Espanhol